Valor do pedágio sobe em todas as praças do PR e também SC

pedagios Quem pretende viajar neste final de ano deve se preparar para o aumento anual da tarifa de pedágio. Todas as praças nas rodovias federais e estaduais que compõem o Anel de Integração do Paraná sofreram um aumento no dia 1º de dezembro de 5,72%. O reajuste anual previsto em contrato foi homologado pela Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná (Agepar) e pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER). Os novos valores contemplam 27 praças de pedágio de 6 concessionárias. Econorte, Viapar, Ecocataratas, Caminhos do Paraná, Rodonorte e Ecovia. 

 Quem pretende ir de automóvel à Foz do Iguaçu pagará no total, ida e volta, R$ 166,80, passando pelas nove praças de pedágio existentes no trajeto. 

 Para sair de Curitiba rumo às praias do Paraná pela BR-277, o pedágio aumentou para R$ 15,40, gastando assim o motorista R$ 30,80 contando ida e volta ao litoral, que fica a uma distância de aproximadamente 100 km da capital paranaense.

 Na BR-116, trecho entre Curitiba e a divisa dos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, o pedágio terá um reajuste de 5,71%, pela variação do IPCA – Índice de Preços ao Consumidor Amplo, a partir do dia 19 de dezembro. Para automóveis, caminhonetes e furgões, o pedágio em cada uma das cinco praças do trecho passou de R$ 3,60 para R$ 3,80.

 A data de reajuste está prevista no contrato de concessão assinado pela  concessionária que administra a rodovia, Autopista Planalto Sul, e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que determina o reajuste anual da tarifa sempre na data de aniversário, 19 de dezembro.

 A pior situação é a dos caminhoneiros, que pagam por eixo e acabam sendo os maiores prejudicados. Quem pretende viajar neste final de ano deve se preparar para o aumento anual da tarifa de pedágio. Todas as praças nas rodovias federais e estaduais que compõem o Anel de Integração do Paraná sofreram um aumento no dia 1º de dezembro de 5,72%. O reajuste anual previsto em contrato foi homologado pela Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná (Agepar) e pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER). Os novos valores contemplam 27 praças de pedágio de 6 concessionárias. Econorte, Viapar, Ecocataratas, Caminhos do Paraná, Rodonorte e Ecovia. 

 Quem pretende ir de automóvel à Foz do Iguaçu pagará no total, ida e volta, R$ 166,80, passando pelas nove praças de pedágio existentes no trajeto. 

 Para sair de Curitiba rumo às praias do Paraná pela BR-277, o pedágio aumentou para R$ 15,40, gastando assim o motorista R$ 30,80 contando ida e volta ao litoral, que fica a uma distância de aproximadamente 100 km da capital paranaense.

 Na BR-116, trecho entre Curitiba e a divisa dos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, o pedágio terá um reajuste de 5,71%, pela variação do IPCA – Índice de Preços ao Consumidor Amplo, a partir do dia 19 de dezembro. Para automóveis, caminhonetes e furgões, o pedágio em cada uma das cinco praças do trecho passou de R$ 3,60 para R$ 3,80.

 A data de reajuste está prevista no contrato de concessão assinado pela  concessionária que administra a rodovia, Autopista Planalto Sul, e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que determina o reajuste anual da tarifa sempre na data de aniversário, 19 de dezembro.

 A pior situação é a dos caminhoneiros, que pagam por eixo e acabam sendo os maiores prejudicados. Quem pretende viajar neste final de ano deve se preparar para o aumento anual da tarifa de pedágio. Todas as praças nas rodovias federais e estaduais que compõem o Anel de Integração do Paraná sofreram um aumento no dia 1º de dezembro de 5,72%. O reajuste anual previsto em contrato foi homologado pela Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná (Agepar) e pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER). Os novos valores contemplam 27 praças de pedágio de 6 concessionárias. Econorte, Viapar, Ecocataratas, Caminhos do Paraná, Rodonorte e Ecovia. 

 Quem pretende ir de automóvel à Foz do Iguaçu pagará no total, ida e volta, R$ 166,80, passando pelas nove praças de pedágio existentes no trajeto. 

 Para sair de Curitiba rumo às praias do Paraná pela BR-277, o pedágio aumentou para R$ 15,40, gastando assim o motorista R$ 30,80 contando ida e volta ao litoral, que fica a uma distância de aproximadamente 100 km da capital paranaense.

 Na BR-116, trecho entre Curitiba e a divisa dos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, o pedágio terá um reajuste de 5,71%, pela variação do IPCA – Índice de Preços ao Consumidor Amplo, a partir do dia 19 de dezembro. Para automóveis, caminhonetes e furgões, o pedágio em cada uma das cinco praças do trecho passou de R$ 3,60 para R$ 3,80.

 A data de reajuste está prevista no contrato de concessão assinado pela  concessionária que administra a rodovia, Autopista Planalto Sul, e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que determina o reajuste anual da tarifa sempre na data de aniversário, 19 de dezembro.

 A pior situação é a dos caminhoneiros, que pagam por eixo e acabam sendo os maiores prejudicados. Quem pretende viajar neste final de ano deve se preparar para o aumento anual da tarifa de pedágio. Todas as praças nas rodovias federais e estaduais que compõem o Anel de Integração do Paraná sofreram um aumento no dia 1º de dezembro de 5,72%. O reajuste anual previsto em contrato foi homologado pela Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná (Agepar) e pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER). Os novos valores contemplam 27 praças de pedágio de 6 concessionárias. Econorte, Viapar, Ecocataratas, Caminhos do Paraná, Rodonorte e Ecovia. 

 Quem pretende ir de automóvel à Foz do Iguaçu pagará no total, ida e volta, R$ 166,80, passando pelas nove praças de pedágio existentes no trajeto. 

 Para sair de Curitiba rumo às praias do Paraná pela BR-277, o pedágio aumentou para R$ 15,40, gastando assim o motorista R$ 30,80 contando ida e volta ao litoral, que fica a uma distância de aproximadamente 100 km da capital paranaense.

 Na BR-116, trecho entre Curitiba e a divisa dos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, o pedágio terá um reajuste de 5,71%, pela variação do IPCA – Índice de Preços ao Consumidor Amplo, a partir do dia 19 de dezembro. Para automóveis, caminhonetes e furgões, o pedágio em cada uma das cinco praças do trecho passou de R$ 3,60 para R$ 3,80.

 A data de reajuste está prevista no contrato de concessão assinado pela  concessionária que administra a rodovia, Autopista Planalto Sul, e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que determina o reajuste anual da tarifa sempre na data de aniversário, 19 de dezembro.

 A pior situação é a dos caminhoneiros, que pagam por eixo e acabam sendo os maiores prejudicados. Quem pretende viajar neste final de ano deve se preparar para o aumento anual da tarifa de pedágio. Todas as praças nas rodovias federais e estaduais que compõem o Anel de Integração do Paraná sofreram um aumento no dia 1º de dezembro de 5,72%. O reajuste anual previsto em contrato foi homologado pela Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná (Agepar) e pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER). Os novos valores contemplam 27 praças de pedágio de 6 concessionárias. Econorte, Viapar, Ecocataratas, Caminhos do Paraná, Rodonorte e Ecovia. 

 Quem pretende ir de automóvel à Foz do Iguaçu pagará no total, ida e volta, R$ 166,80, passando pelas nove praças de pedágio existentes no trajeto. 

 Para sair de Curitiba rumo às praias do Paraná pela BR-277, o pedágio aumentou para R$ 15,40, gastando assim o motorista R$ 30,80 contando ida e volta ao litoral, que fica a uma distância de aproximadamente 100 km da capital paranaense.

 Na BR-116, trecho entre Curitiba e a divisa dos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, o pedágio terá um reajuste de 5,71%, pela variação do IPCA – Índice de Preços ao Consumidor Amplo, a partir do dia 19 de dezembro. Para automóveis, caminhonetes e furgões, o pedágio em cada uma das cinco praças do tr Quem pretende viajar neste final de ano deve se preparar para o aumento anual da tarifa de pedágio. Todas as praças nas rodovias federais e estaduais que compõem o Anel de Integração do Paraná sofreram um aumento no dia 1º de dezembro de 5,72%. O reajuste anual previsto em contrato foi homologado pela Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná (Agepar) e pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER). Os novos valores contemplam 27 praças de pedágio de 6 concessionárias. Econorte, Viapar, Ecocataratas, Caminhos do Paraná, Rodonorte e Ecovia. 

 Quem pretende ir de automóvel à Foz do Iguaçu pagará no total, ida e volta, R$ 166,80, passando pelas nove praças de pedágio existentes no trajeto. 

 Para sair de Curitiba rumo às praias do Paraná pela BR-277, o pedágio aumentou para R$ 15,40, gastando assim o motorista R$ 30,80 contando ida e volta ao litoral, que fica a uma distância de aproximadamente 100 km da capital paranaense.

 Na BR-116, trecho entre Curitiba e a divisa dos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, o pedágio terá um reajuste de 5,71%, pela variação do IPCA – Índice de Preços ao Consumidor Amplo, a partir do dia 19 de dezembro. Para automóveis, caminhonetes e furgões, o pedágio em cada uma das cinco praças do trecho passou de R$ 3,60 para R$ 3,80.

 A data de reajuste está prevista no contrato de concessão assinado pela  concessionária que administra a rodovia, Autopista Planalto Sul, e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que determina o reajuste anual da tarifa sempre na data de aniversário, 19 de dezembro.

 A pior situação é a dos caminhoneiros, que pagam por eixo e acabam sendo os maiores prejudicados.echo passou de R$ 3,60 para R$ 3,80.

 A data de reajuste está prevista no contrato de concessão assinado pela  concessionária que administra a rodovia, Autopista Planalto Sul, e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que determina o reajuste anual da tarifa sempre na data de aniversário, 19 de dezembro.

 A pior situação é a dos caminhoneiros, que pagam por eixo e acabam sendo os maiores prejudicados.

Acesse Também!

Guia Caderno

Campo de Santana

Anunciantes